Fãs criam teoria que o #R9 pode estar próximo, devido a grande frequência de postagens da Rihanna com o símbolo de um dragão.

Isso mesmo, um fã criou um teoria que Rihanna pode estar próxima de lançar o #R9 devido a frequência com que Rih tem postado dragões em seu Instagram, que é relacionado ao número ”9” na mitologia Chinesa.

A gente traduz: o número nove é especial na China, visto como o número do paraíso, e dragões chineses são frequentemente ligados ao número. O dragão chines é descrito em termos de 9 atributos.  Os dragões possuem 9 formas, e segundo a mitologia, o Dragão Rei possui 9 filhos. Como 9 foi considerado o número do imperador, apenas os mais altos funcionários foram autorizados a usar nove dragões em suas roupas.

Outro fã ainda foi mais a fundo e descobriu que 1988, ano do nascimento da Rihanna, é o ano do Dragão, segundo o Horóscopo Chinês.

Rihanna sendo de dragão, sua estação fixa segunda o horóscopo chinês é a primavera, que se inicia dia 20 de março no hemisfério norte.

Os fãs já haviam começado a perceber a frequência do emoji de dragão em suas postagens e começaram, por fim, levantar as teorias:

Vale lembrar também da tatuagem na mão de Rihanna, que é tribal de uma garra de dragão, que representa amor e força.

Rihanna’s Tribal Dragon Claw Hand Tattoo

Será que Rihanna está pretendo se tornar o dragão Rei e ter seus 9 dragões filhos?

Lembrando que essa matéria é apenas de rumor, baseada em uma teoria que um fã espalhou pela internet, e nada disso confirmo ou explica algo, de fato.

 

Homem tenta matar esposa recém-casada após ela tocar repetidamente “Love On The Brain”.

Homem tenta matar esposa recém-casada após ela tocar repetidamente “Love On The Brain”. Ele a acusou de por a música para provocar sobre um caso, onde ela disse que o largaria para ir morar com o vizinho,  enquanto ela repetidamente cantava rindo “it beats me black and blue but it fucks me so good and i can’t get enough”, parte da música que quer dizer: ”Ele me bate, me deixa roxa, mas me fo*e tão bem, e eu não me canso”.

Ela por sua parte desmentiu as acusações e que não cantava para provocá-lo.

Fonte: Daily Mail.

 

Rihanna foi listada entre os ”15 maiores momentos da música da história negra”, pela academia do Grammy.

A academia do Grammy, em comemoração ao mês da história negra, listou os 15 maiores momentos da música da história negra, homenageando os cantores que conseguiram os maiores feitos na música.

Rihanna foi citada entre ícones como Aretha Franklin, Gloria Gaynor, Queen Latifah, Prince e outros, e você pode conferir tudo AQUI.

Confira o que foi dito da Rihanna:

A garota da ilha Rihanna permaneceu no topo da Billboard Hot 100 por 10 semanas não consecutivas em 2011-2012 com We Found Love (música produzida por Calvin Harris). Mas em 2015, a cantora de Good Girl Gone Bad, obteve uma conquista ainda maior se tornando a primeira artista a ultrapassar 100 milhões de certificados de ouro e platina da RIAA.

Rihanna é a cantora internacional mais tocada nas rádios brasileiras entre os anos 2000 e 2017.

Matéria extraída do Fórum BCharts, confira AQUI.

ESPECIAL EXCLUSIVO PARA A BCHARTS

Esse especial contém as cantoras mais executadas nas rádios brasileiras a partir de 2000 com base nas listas de final de ano divulgadas pela Crowley Broadcast Analysis do Brasil exclusivamente para a BCharts (no caso eu, para fazer esse especial).

A medição será feita da seguinte forma: a canção em primeiro lugar obtém 100 pontos, enquanto a segunda obtém 99 pontos e a centésima obtém 1 ponto. No final, os pontos de cada artista foram somados e posicionado em ordem decrescente no ranking a ser divulgado.

Cantoras que foram para carreira solo e que marcaram presença no ranking durante a carreira solo, será nomeada com seu nome solo e não da banda/duo. Exemplo: Babado Novo vira Claudia Leitte, Banda Beijo vira Gilmelândia, Sandy & Junior vira Sandy.

Cantoras que estão em carreira solo mas não marcaram pontos solo nos rankings, serão creditadas com o nome da banda. Exemplo: Paula Toller fica como Kid Abelha, Gwen Stefani fica como No Doubt.

Confira o ranking das artistas internacionais:

#1 Rihanna

#2 Fergie

#3 Beyoncé

#4 Katy Perry

#5 Mariah Carey

#6 Lady Gaga

#7 Britney Spears

#8 Shakira

O ranking geral (nacionais e internacionais) completo você pode encontrar no site do fórum com link no topo da matéria.

 

5 formas como Rihanna fornece confiança para seu público LGBTQ, sendo uma aliada hetero (logo, um ícone gay).

No início deste verão, Billboard elegeu Ariana Grande como “um ícone gay de sua geração”. Compreensivelmente, Grande se identifica como uma mulher heterossexual, mas isso não deve desqualificá-la como “um ícone gay”. Ao longo das décadas, ícones gays – – incluindo Donna Summer, Cher, Britney Spears e Whitney Houston – foram mulheres heterossexuais que evocaram uma confiança para a base de fãs LGBTQ e lançaram luz sobre os problemas existentes naquela comunidade.

De certa forma, essas divas pop reconheceram um grande grupo demográfico que apoia consistentemente suas carreiras. Independentemente da orientação, qualquer aliado (especialmente neste dias difíceis) deve ser abraçado por suas contribuições – desde que estejam reconheçam não estar na linha de frente, apoiando-nos em nossos direitos.

Outro ícone que merece este título, não pode ser outro senão Rihanna. Nossa “Black Madonna” mostra sem esforço como viver a vida ao máximo (e é por sua própria vontade), que é a pura encarnação de um ícone gay. Aqui estão cinco maneiras essenciais de fornecer seus fãs LGBTQ a confiança necessária para viver suas vidas livremente.

Sua Abordagem Contra Leis Anti-LGBTQ

Consistentemente fazendo ondas em seu papel humanitário, Rihanna também falou contra políticas discriminatórias que têm servido para tirar os direitos LGBTQ nos Estados Unidos e internacionalmente. Em 2014, as Olimpíadas de Inverno de Sochi realizadas na Rússia causaram grande controvérsia, já que os meios de comunicação e os atletas em todo o mundo reconheceram as leis de propaganda anti-gay da nação anfitriã. Rihanna juntou-se a uma lista de celebridades que usavam uma camiseta do Princípio 6 falando contra o ódio do governo russo por indivíduos LGBTQ.

Sua companhia com os fãs LGBTQ

A confiança radiante de Rihanna foi transmitida aos seus seguidores mais verdadeiros, e ela se encontrou em um papel de mentora. Em abril de 2016, ela ajudou, em particular, um fã gay a se revelar para familiares e amigos. Quando ele estendeu a mão para ela no Twitter, sua mensagem central era “ser quem você é”. Ao longo de sua jornada, Rihanna irá gradualmente entrar e oferecer mais conselhos. Ela também atuou como um ombro digital (e transmissível) para chorar por seus fãs desolados ajudando-os a passar de seus problemas de relacionamentos complicados.

Seu senso de moda

Há muitas razões para chamar Rihanna de um ícone da moda. O tapete vermelho é a quadra de basquete e quando ela tem a oportunidade ela sempre marca. Curiosamente, Rihanna tem sido uma fã consistente em equilibrar a androginia com a “beleza feminina”. Um dia, ela pode ser vista com uma jaqueta masculina de grandes dimensões e, a seguir, ela pode ser vista com um vestido cor de boca na Grammys. Os looks sem forma e as silhuetas em seu trabalho colaborativo PumaXFenty também contribuem para o ressurgimento atual de roupas sem gênero na comunidade da moda.

Seus Clapbacks, Shades e Atitude

“The shade of it all” sempre que a Internet é agraciada pelo “RIHplies” da BadGal. RIHplies geralmente vêm da RiRi sempre que parece haver um crítico julgando suas decisões de vida – tudo englobando sua “atitude destemida”. Sempre que Rihanna quer fazer algo, ela faz isso por sua vontade – algo altamente admirável com um grupo que enfrenta constante crítica e discriminação. Isso realmente explica por que ela é tão amada no mundo GIF.

Sua discografia e videografia admirada pelo público LGBTQ

Para citar um artigo anterior da Billboard sobre DJs nas boates e bares LGBTQ, um DJ especificou que “Rihanna e Beyoncé uniram quase unanimemente a pista de dança”. E olhando para trás, isso não é surpresa. Muito franca em seu título, LOUD é provavelmente é o álbum da Rihanna mais icônico para os gays. O quinto álbum de estúdio da Rihanna é um paraíso gay, incluindo Billboard Hot 100 No. 1 hits “Only Girl (In The World)”, “What’s My Name” e “S & M” (com uma surpresa com Britney Spears no remix). Sem falar no seu extenso catálogo twerk: “Pour It Up”, “Rude Boy” e “Work”, apenas para citar alguns.

Rihanna também consegue dobrar os papéis de gênero e a sexualidade em sua música tornando-se inclusiva para todos os seus fãs. Seu sexto álbum de estúdio, Talk That Talk, colocou a cantora em um papel muito andrógino referente aos membros privados da anatomia humana de forma intercambiável. Sua faixa “Cockiness (Love It)” apresentou entendimentos duplos “Chupe minha ousadia, lambe minha persuasão”, enquanto ela assumiu o papel de um homem no bônus de corte “Red Lipstick”. E não podemos esquecer seus trysts musicais do mesmo sexo : “Te Amo” de Rated R onde aborda os sentimentos românticos de uma mulher por outra e sua música com Shakira ajudou “Can’t remember to forget you”.

Fonte: https://www.billboard.com/articles/news/pride/7941086/5-ways-rihanna-evokes-confidence-lgbtq-fan-base

Rihanna Online © 2015 Todos os direitos reservados Desenvolvido por: Vinícius Huntter
X

Pin It on Pinterest

X